sábado, 6 de outubro de 2012

Rosa nem sempre é bichisse

"Que porra de título é esse? O Carilha se desvirtuou?" - você deve estar pensando. Não, relaxa. Deixa eu explicar essa caralha.

Bom, você já sabe que outubro é o mês da Oktoberfest (que apesar de tudo, começa em setembro), festejo mais que correto que acontece na Alemanha e que tem cerveja a torto e a direito. Só por isso, já seria um mês para ser lembrado e relembrado.

O que talvez você não saiba é que outubro também é o mês internacional de combate ao câncer de mama. E, por causa disso, monumentos pelo mundo inteiro são iluminados por luzes rosadas, para que as pessoas se lembrem dessa nobre causa contra essa doença filha da puta. Por isso que rosa nem sempre é coisa de bichinha. Rosa as vezes é coisa séria.


Aí você se pergunta: "Por que o Carilha, que é um blog voltado principalmente ao público masculino, está tratando de um assunto tão sério e voltado ao público feminino?". A resposta é elementar, meu velho. O motivo é que apesar da doença atingir principalmente as mulheres (apenas 1% dos casos se aplicam a nós, machos pra carilha), todos somos atingidos indiretamente.

Pense pelo seguinte ponto. Você gosta de peitos, certo? Todo homem gosta. Por que você vai deixar uma doença filha da puta tirar uma das coisas que você mais gosta na face da Terra? A gente não pode deixar barato. Nós temos que fazer alguma coisa pra que a doença não foda as nossas vidas e, principalmente, a vida de nossas garotas.

Bom, é sabido que não há vacina contra o câncer de mama. Então, a melhor prevenção ainda é descobrir a doença o quanto antes, para que haja tratamento o quanto antes, afim de extirpar o câncer do paciente. Por isso que a mulherada deve frequentar ao médico regularmente, fazer o auto exame mensalmente e procurar fazer mamografia pelo menos uma vez por ano depois dos 40 anos. E cabe a gente, adoradores de peitolas, enfiar isso na cabeça de nossa garota.

O auto exame, por exemplo, é super sussa. Todo mês, de preferência logo após o xico, guria deve observar na frente do espelho se, com o movimento dos braços, aparecem alterações de contorno e de superfície dos peitinhos. Deitada, a mão direita apalpa o peito esquerdo e vice-versa. Com movimentos circulares suaves ela vai apertando levemente a mama com as pontas dos dedos. Aperte os biquinhos para observar a saída de secreção. E pronto. Se estiver tudo certinho, beleza. Se reparar alguma coisa, visite um médico. Simples assim.


Afinal de contas, é o mínimo que podemos fazer. a gente não se cansa de apertar, morder, beijar e dar carinho a um peitinho. A gente tem o dever e obrigação de cuidar deles. Por isso a gente apoia essa luta. Do nosso jeito, mas apoia.

Nenhum comentário: