terça-feira, 5 de julho de 2011

Marcas de macho

Gucci, Louis Vuitton, Dior, Armani, Rolex...

Você se identifica com essas marcas? Eu não. Muita pompa, muito rococó. Você não precisa de rococó. Você não quer glamour. Você quer rock, cerveja e mulher. Você quer ser respeitado pelo o que você é. Você quer chegar em um lugar e ser notado. Não por estar vestindo um terno chic ou usando um perfume bacana. Você quer ser notado pois chegou chutando a porta ou arremessando um bebum pela janela.

Ok, nesse final eu exagerei. Mas você entendeu o conceito. E esse conceito é o que algumas marcas trabalham com afinco. Marcas que se identificam com aquela espécie em extinção. Não estou falando dos búfalos americanos com seus espíritos livres e nem dos lobos solitários das estepes europeias. Tô falando do macho de verdade.

E essas marcas merecem respeito.

O que dizer da Caracu? Cerva ruim, pra temperar carne. Gosto de cinzas. Se o diabo bebesse cereja, provavelmente ele beberia Caracu. Afinal, o que você pode pensar de uma cerveja que usava o slogan "Pra quem não come mel. Mastiga abelha"? Sangue nos olhos.

E o Jack Daniel's? Tem coisa mais rock'n roll do que um Jack Daniel's? É água que passarinho não bebe no Tenessee desde o tempo que era normal quebrar a cadeira na cabeça de um safado dentro de um saloon. Em um de seus anúncios que estampavam uma Playboy, eu me lembro bem, dizia que Jack Daniel's não é whiskey e não é bourbon. É Jack Daniel's. E é isso mesmo. Ele é ele. Pois nenhuma marca vende mais camiseta ao estilo banda de rock do que o bom e velho Jackie.



Tem coisa mais old colégio que essa marca?

Mas não dá pra falar de marca de macho e deixar de fora ela, a Harley-Davidson. Não é rápida como as Suzukis, ou confiável como uma Honda. Mas é barulhenta como os cavaleiros do apocalipse, isso não se pode negar. Chegar em uma Harley é a mesma coisa do que chegar de cavalo negro em uma cidade de Velho Oeste ou pular de seu barco para invadir um navio pirata com sua espada na mão, pronto para uma briga. O que dizer de uma marca que faz um comercial assim?!



Não há bons costumes. Não há certo, nem errado. É isso que essas marcas vendem. Um mundo de Marlboro onde você é dono do seu nariz e respeitado por todo mundo. Um mundo que infelizmente, pra muitos, não existe, nem nos sonhos mais alcoólicos de uma bebedeira de Jack Daniel's. Mas pro macho de verdade, esse mundo mora dentro da gente.

Pois quem nunca sonhou dirigir uma Harley pra lugar nenhum? Ou tocar um hard rock ou blues em um bar pulguento tomando uma dose direto na garrafa de rótulo preto? Ou dividir uma garrafa da cachaça mais vagabundo em um dos milhares bares do Bigode, do Alemão, do Zé ou de qualquer botequeiro boa pinta por esse país sem fim? Se você é minimante macho pra carilha você já fez, tá fazendo ou vai fazer uma coisa dessas meu camarada.

Um comentário:

Senador disse...

são marcas feitas para machos pra caralho... é como a Caracu ou a Guinness... e essa propaganda da Harley é sensacional!