quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Filminhos eróticos


Tem algo que não tem muito cabimento são esses filmes eróticos light, que passam na Bandeirantes ou na Multishow, no programa Cine Privê e Sexytime, respectivamente. De vez enquando zapeando trombo com esses canais, fico olhando e imaginando que quem assiste essas porras tem que ter uma puta imaginação. Primeiro que metade dos filmes são interpretados pelos mesmo atores... a loira coroa de cabelo curto, o loiro surfista já meio velho, o moreninho novo certinho, a morena abusada e a japa siliconada. Depois disso, haja imaginação!

Nego tá lá no esfrega-esfrega com a mina, tira a calcinha dela - obviamente não aparece nada, só o perfil das coxas - continua nas esfregação, de repente ele tira a cueca e já tá comendo. É instântaneo! Mais fácil e rápido do que fazer Miojo! Não tem tentativa e erro, não bate na trave, a porta não tá fechada... o filho da puta vai lá e coloca o pau dele num buraco tão fácil quanto se estivesse metendo num balde. Tirou a cueca e já começa a metelança.

Não satisfeito em comer a mina assim de repente, os diretores simplesmente não se importam com o "aonde fica o que". O cara tá comendo a mina de frente e muitas vezes tá metendo no umbigo dela. Passando looooooooooonge da porta da sacanagem da cidadã. Quando tá comendo em pé e por trás é aquela farra: se é muito baixinho come as coxas, senão, mete nas costas mesmo e a mina gosta que é uma beleza! Faz caras e bocas! Se filmam de perfil é comum ver na sombra que o rapaz não tá com a manjuba ereta, aliás, não aparece sombra nem de pica mole! Aonde eles escondem o pênis fica a cargo da imaginação também.

Gozar junto então é fácil demais! Nego tá lá passando o frango e de repente os dois se contorcem juntos, como minhocas na frigideira, representando o gozo conjunto. É só dar aquela piscadela e simbora gozar mutuamente. Mas não tem nada mais bizonho, nada mais sem noção e nada mais engraçado do que quando temos duas mulheres juntas se pegando. Calma, sei que os machos pra carilha defendem a colação de velcro com muito louvor, mas tem uma categoria que os diretores inventam de colocar nesses filmes que simplesmente não tem cabimento algum. Dado momento na pegação feminina, quando ambas estão já sem roupa e partindo para vias de fato, as duas ficam de frente uma para outra e começam esfregar... er... não tem como descrever isso de outro jeito: mas as filhas das putas começam a esfregar buceta de uma na outra. E gozam de prazer, urram, urram de alegria, como se a jéba avantajada do Zumbi dos Palmares estivesse ivandindo o corpo delas de forma entumecida. Que porra é essa? Se ainda mostrasse em algum momento X do filme elas pegando um consolo de ponta dupla (aqueles que parecem uma jibóia de duas cabeças), beleza... mas não, as esfregação de corpos rijos fica por conta apenas da trombada (elas fazem movimento de entra e sai e não de esfrega-esfrega) de uma vagina com a outra e acredite ou não, mermão... elas gozam! E os mãos peludas de 12 anos provavelmente vão no embalo achando que tal pose faz parte da página 351 do livro Kama Sutra e gozam juntos!

2 comentários:

Lesma disse...

O melhor desses filmes são as músiquinhas que fica tocando enquanto as os atores brincam de foder. É quase tão excitante quanto assistir ai video show com o andré marques. As câmeras que ficam girando em torno da cama, também é um ponto forte da produção dos filmes eróticos.

x__neverland__x disse...

"...o filho da puta vai lá e coloca o pau dele num buraco tão fácil quanto se estivesse metendo num balde..."

HAHAHAH ri muito!