sexta-feira, 30 de julho de 2010

A TV e suas influências - Capítulo 1: Emo

Nesse post começa uma trilogia de teorias sobre a influência do desenho animado (ou programa de tv) na formação do indivíduo adulto. É só o começo.

Hoje, em uma discussão acalorada sobre gostou musicais lá no trabalho, eu cheguei em uma conclusão sobre por que cargas d'água existem tantos emos hoje em dia.

Afinal das contas, é uma febre de proporções nunca d'antes vistas no planeta Terra. Já tivemos modas devastadoras como o sertanejo, pagode, ioiô da Coca-Cola...mas nenhuma febre com proporções tão grandes e irritante quanto a dos emos. E isso tem um por quê. Tem um motivo e eu tenho uma teoria do por quê disso tudo aí.

Pra entender a teoria temos que primeiro fazer um perfil do emo. O que é o emo? O emo, além de ser um filho da puta sem costume, é basicamente um adolescente de lá seus 14/15 anos, que gosta de roupas coloridas, tem cabelo seboso e é fã de Crepúsculo e bandas emocore (coloridas como seus fãs).

Bom, montado o perfil do filho da pu...digo, emo! Vamos agora pra infância desses indivíduos multi coloridos sorvete colorê e vamos fazer várias descobertas que podem elucidar a caralha toda. Sabendo que os corninhos têm idade entre 14 a 16 anos, se voltarmos 10 anos atrás eles terão de 4 (ui!) a 6 aninhos. E se eu bem me recordo, em 2000 vamos encontrar talvez a razão dessa merda toda. E a culpa é da Globo. "Por que, meus Deus?" - você se pergunta. Pois a Globo meu amiguinho, exibia pra esses projetos de emo nada mais nada menos que o Teletubbies!!!

Ó lá eles, os Teletubbies! Que filhos das putas!!! É clara e evidente a ligação dos Teletubbies com a onda emo. Primeiro de tudo, se você não for daltônico, repare na cor dos personagens. Hã? Hã? se ligou? E o jeitinho deles meio borboletinha?! E a atitude pseudo malandra dos Teletubbies, que, sem trabalhar, tinham casa própria no meio de um vale estilo desktop do Windows? Tá na cara pra quem quiser ver. Até os nomes deles parecem nome de banda emo.

Aí o que acontece? A criançada cresce espelhada nessa imagem colorida da vida. Acha que a vida é assim, um pico de colinas verdejantes e com um sol com cara de bebê (medo do bebê!), começam a ouvi emocore e chorar a ausência do Teletubbies na tv moderna. Na busca do seu Teletubbie interior, eles começam a usar roupas coloridas, ouvir bandas com nome de modelo de celular ou botão de controle remoto, de atitude pseudo punk malandrona e pronto!!!

Aí fudeu tudo e uma geração se perdeu com essa mania malhuca. E assim acabo aqui com a minha primeira teoria. Aguarde, que logo menos tem mais.

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Soutodoloko na Copa!

Ayoba! Ke nako!

Ow yeah! Voltei da Copa, filhotinhos. Não voltei com a taça e nem com a Jabulani na bagagem, mas voltei cheio de histórias e fotos para mostrar. Assisti todos os jogos do Brasil e visitei quase todas as sedes da Copa. Tentei aproveitar ao máximo do que a África do Sul tinha a oferecer.

África do Sul que me surpreendeu positivamente. O país é lindo demais, com belezas naturais que vão de montanhas antigas, vales profundos, planícies de savana e mares azuis. As principais cidades são modernas e com uma arquitetura bem legal. O povo então, nem se fala. Fui tratado com respeito maioria das vezes tanto por negros quanto por brancos. Mas o negro é muito mais hospitaleiro e sempre sorridente e solícito.


O único problema mais que evidente do país é a falta total de transporte público. Atrapalhava bastante ir de um ponto ao outro, mas como fui de motorhome, tudo ficou mais fácil. Motorhome esses que ganharam apelidos bem dignos. Um era o Amaral, pois estava amassado em um dos lados, e o outro era o Fernandão, que estreou dando sorte pra alguns companheiros de viagem na primeira balada. Ó Fernandão deixando o Amaral comendo poeira na estrada.


E nos dois motorhomes vimos de tudo. Vimos zebras, rinocerontes, hipopótamos, crocodilos, búfalos, baleias, pinguins, girafas, macacos, esquilos, gnus, gazelas, babuínos (quase atropelamos alguns), suricatos (quase atropelamos alguns), coelhos (quase atropelamos alguns), pássaros (atropelamos um) e elefantes (quase fomos atropelados por um).

Conheci vários estádios. Além dos jogos do Brasil, consegui ir ver México X França e a semifinal Uruguai X Holanda. E as torcidas são muito legais, pena que maioria no estádio era sul-africana e não entendia merda nenhuma do que tava rolando. Uma pena também era ter de ver o jogo sentado. Quem vai a estádios sabe que futebol em estádio se vê de pé. A regra é clara, se levanta pra cantar o hino e não se senta nunca mais. Mas lá a polícia pedia "educadamente" para você se sentar.

Mas apesar desse empecilho, assistir os jogos era legal. Tinha cerveja e cachorro quente. E tinha mulheres também, neném. Mulheres que gostam de futebol, é mole? Mesmo não entendendo tão bem assim da parada (mas isso nem é argumento, pois tem um monte de marmanjo que não manja merda nenhuma), elas estavam lá apoiando suas seleções. Ó uma listinha delas aqui embaixo.


Mas algumas dela estavam lá pra ver outra coisa além do jogo.


E essa foi a Copa. Agora é esperar quatro anos pra ver ela aqui no Brasil. Mas essa eu vou querer ver da TV, quem sabe com minha namora ou esposa, sei lá. Deixo essa pros outros se divertirem, mas a taça é nossa.

Luciana Vendramini


Pode ser que nossos amigos machinhos e feminhas pra carilha não conheçam, mas os machos e fêmeas mais velhos conhecem a famosa Luciana Vendramini. Sabe quando a moça vira a sensação do país? Essa Larissa Riquelme é novata perto do que foi Luciana Vendramini nos anos 80. Lembro que na minha 5a. ou 6a. série, TODOS os cadernos dos meninos tinham a loira na capa. Revistas só falavam dela, programas de TV, etc.

Mas o que fez dela tão famosa? Era uma baita duma ninfetinha que causou MUITO! Ela saiu na Playboy. Tá, e daí? Quantas ninfetinhas sairam na Playboy os mais novos perguntam. Pois então, a moça teve sua edição publicada com 18 anos, porém, reza a lenda que as fotos foram feitas quando ela tinha ainda 16 ou 17 anos! Ou seja... NÃO PODE! É uma edição histórica, famosa e que deixou a moça mais em destaque ainda... acabou namorando (ou sei lá se casou) com o Paulo Ricardo, que era vocalista / baixista do RPM. RPM foi uma banda que teve proporções de Beatles no Brasil. Era febre... então diriamos que ela era a mulher do John Lennon brasileiro (não comparando musicalmente, mas sim a fama proporcional no país).

Outro dia lembrei dela... fiquei pensando que fim deu. Parece que anda fazendo novela, sei lá e ainda preserva a beleza. Nascida em 1970 a moça está bem na fita quarentona. Quantos filhos virtuais da minha geração essa moça teve... e a geração atual fica pagando pau para mulher Melancia... tsc, tsc, tsc...

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Estamos de volta!

Pois é amigos machos... desculpe mas ficamos ausentes. Período de mudanças, viagens, mas tudo ok, estamos firmes e rígidos novamente! Thiagão voltou da África do Sul e agora estou na presença... vamos lá!


terça-feira, 6 de julho de 2010

Truques para mulheres...

Não somos machistas, somos contra qualquer tipo de agressão e violência... mas esse vídeo é engraçado e vale compartilhar. E lembre-se: quer bater alguém, vá tretar no ringue, não vá bater em mulher! Macho que é macho trata mulher muito bem!



Tem mais alguns vídeos divertidos dessa Amanda no Youtube, mais uns 6 ou 7... vale garimpar!

dica do Chrisloki!