quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

As mulheres e a punheta

"Ai, Soutodoloko!!! Você é um ogro!!!"
Sou um ogro sim, senhoras. E tenho teorias malhucas sobre sexo e falo abertamente sobre isso. E aí acabo sendo mal compreendido e tratado como um tarado sem vergonha danado de uma figa.
Bom, não é mentira. Eu sou tudo isso mesmo. Mas vamos ao que importa, bando de xurupitistas.
Outro dia lá na agência polemizei (adoro polemizar no trabalho) com uma teoria que tenho aí. Coisa séria, estudada por anos e comprovada pelo Massachusetts Institute of New Technology from Tangamandapio.
Olha a banana! Olha o bananeiro!
A teoria era de que mulher nenhuma nesse mundão velho sem porteira sabe bater uma boa e velha punheta. E tenho dito!
Não sabem e não tem a mínima idéia de como é pra fazer a parada direito. E não importa se ela é boa de cama e faz um sexo danado de bom. Não, senhores. Nem se ela é a rainha de cantar no microfone, que nem a Mayara do Big Brother (ah, Mayara...ê lá em casa...).
Não sabem e ponto final. Acho que é por que elas simplesmente não tem pinto pra bater umazinha. Eu tenho certeza que os homens não sabem masturbar uma mulher como ela mesmo sabe.
Mas hoje não é dia de falar de siririca. Hoje é dia de punheta (credo, que dia horrível seria isso).
E eu, como sou um cara porreta de bonzinho e quero mais é o bem da humanidade, vou dar um toque de amigo em vocês, mulheres. Pra que vocês aprendam pelo menos o que vocês estão fazendo de errado na hora de descascar a banana do seu parceiro.
Vamos ao começo.
O pinto, nem quando tá duro, é feito de pedra ou plástico. Ele é feito de carne esponjosa. E machuca. Então, cuidado ao manusear o "menino". Você não está ali pra matar ninguém e "socar umazinha" é só força de expressão. Você não precisa socar ninguém. Vá com calma.
Outra coisa importante (pelo menos no meu caso). Há homens que ainda têm o prepúcio. Sabe o que é isso? É o "capuzinho" que cobre a chapeleta, manja? Aquela pelinha que cobre a cabeça do binguelo. Tem uma mulherada aí que acha que aquilo ali pode puxar até alma. Não é não, filha da puta!!! Se puxar aquilo com força dói, e dói (literalmente) pra caralho!!! Não precisa puxar até quando travar e o cara fazer cara de dor. Puxa de buena, que só a fricção da pelinha na glande (vulgo cabeçota) já é bem prazeroso.
Unhas aparadas também são uma boa. A pele ali embaixo é tão fina quanto àquelas fatias que sua tia mão de vaca corta do bolo de aniversário da tua prima, aquela vaquinha..
Outra coisa importantíssima. Os bagos!!! Carinho nos bagos é legal, mas nem preciso dizer que ali o cuidado deve ser redobrado. Você pode namorar o cara mais boçal do mundo, mas as bolotas dele continuam sendo frágeis como uma menininha de 4 anos.
Acho que é isso. É o básico.
É só você lembrar de quando você ganhava um pintinho naquelas feiras de pets que rolavam nos antigamentes. Você tinha que segurar o bichinho com força, mas não podia botar força demais, senão matava o coitado. É mais ou menos isso. Talvez por isso pinto chama pinto. Por que pia é que não é.

2 comentários:

Sr. Senador disse...

HAHAHAHA... esse post é clássico... casco o bico lendo. "Não é não, filha da puta!!!" é de tirar lágrimas, haha... mas é real o que tu escreveu, de repente as mouuuças não têm la habilidades para manusear a roula, porque simplesmente elas não têm (ainda bem!). Mas o post tem boas dicas que podem ser úteis às moçoilas...

Carudo disse...

CARA ISSO E LINDO1 EU FALO ISSO NA FACULDADE QUASE TODO DIA!!!